Tuesday, January 10, 2012

Não que eu ande meio desligado, mas...

... citar mais é de Marx.

Ando meio desligado
Eu nem sinto meus pés no chão
Olho e não vejo nada
Eu só penso se você me quer

Os Mutantes
Miserável não têm pátria. É um despatriado por natureza! Politicamente correto chamá-los despossuídos. Diferentes palavras para descrever a mesma categoria de oprimidos. O que Marx chamou de operário, hoje expande-se para qualquer trabalhador. Excluídos os grandes empresários, pois os pequenos empresários também são presas fáceis no jogo dos poderosos.

E quem são os poderosos? Não os governos! O papel do governo do Estado moderno é apenas o de um comitê para gerir os negócios comuns desse poder! Em 1985, na Alemanha, aconteceu um encontro onde participaram os grandes líderes e os grandes empresários mundiais. Lá eles traçaram o destino do mundo, no qual apenas 20% da população seria necessário... e quando alguém perguntou "E quanto ao resto?" responderam "Do resto cuidem os governos e as ONGs. É para isso que eles servem!" O fim do mundo não deveria ser novidade para ninguém, e nós estamos chegando lá! Vide a cagada que os bancos fizeram e a merda que eles causaram no mundo todo! E os Governos dos Estados Modernos devolve o dinheiro que ps filhosdaputa queimaram e cobram a conta do mais novo-miserável!

Recessão? Crise? Balela, camaradinha; não há tempos difíceis para o capital. Os ricos estão pilhando e chafurdando – eles só querem ter a certeza de que você não vai meter o dedo no bolo deles! Se o miserável do mundo moderno está matando um leão por dia, ou deixando de almoçar para poder jantar com a família em casa, a culpa não é de ninguém mais senão do capital. Quanto menos você comer, beber, comprar livros, ir ao teatro, quanto menos pensar, amar, teorizar, cantar, sofrer, praticar esporte etc, mais economizará e mais crescerá o teu capital. Cocê «SERÁ» menos, mas «TERÁ» mais! E todas as suas paixões serão tragadas pela cobiça... O mesmo capital que fez muitos emergirem para uma vida de luxo e riqueza, fez outros sucumbirem na fossa da miséria, da humilhação - não há milagres: se alguém tem muito é porque muitos têm pouco! E os homens desenvolveram um interesse nú e crú pelo vil metal!

Como disse o sociologo francês Alain Tourraine: "Substitua 'burguesia' por 'globalização' e eis o mundo atual descrito por Marx."

Aí vem o Olavo de Carvalho defender a Ditabranda? Ah...

Chupadoras de Maçanetas


No Japão, chupar maçaneta é - ou era - uma expressão do tipo das nossas "vai catar coquinho" e "vai plantar batata". Da mesma maneira, você mandava o indivíduo ou a indivídua chupar maçaneta. Por mais ridículo que possa parecer, alguma espertinha resolveu levar ao pé-da-letra a expressão de desabafo e pronto, estava criado o mais novo fetiche (esquisito) japonês: as chupadoras de maçanetas!

Se é coisa nova não sei; há quem diga que remonta dos tempos dos samurais! Só sei que tem um monte de neguinho se fantasiando de porta! E você sabe o que vai parar na maçaneta, nô?

Monday, January 09, 2012

Educação não! Imposto sim!

O governo Irlandês - Não... de novo ele? Sim, ele mesmo! - soltou outra pérola da boa administração: resolveu aumentar o preço das bebidas alcoólicas baratas! E a primeira pergunta que me vem á cachola é: baratas pra quem? Com os impostos que pagamos, mais o aumento do VAT (value added tax) de 21 para 23 percento, o aumento compulsório de €0,25 nos cigarros, aumento de 15-25% nos meios de transportes (mas a qualidade continua a mesma), aumento da gasolina, a mordida da USC (Universal Social Charge), que cobra entre 4% e 7% do seu bolso... e por aí vai!

Diz o governo que é para frear o consumo exagerado de adolescentes e pessoas que têem problema com álcool... quer dizer, aquela cidra forte e barata que o trabalhador de baixa renda costumava comprar para afogar suas mágoas ou amplificar a alegria, vai custar o dobro. A vodka baratinha vai ganhar €4 extras, e não haverá mais vinho a menos de €4.40! Tudo porque o governo acha que a maneira de diminuir o problema com alcólatras é tirando-lhes o álcool ao invés de oferecer-lhes ajuda.

Esperamos que esse dinheiro extra arrecadado seja ao menos vertido para a educação na prevenção do alcoolismo e no tratamento de quem quer se curar!

Sunday, January 08, 2012

Vai mijar no teu quintal!

Os protestos ocorridos em Dezembro passado na Praça Tahrir voltaram, novamente, a atenção para o "problema" do Oriente Médio. A foto acima circulou na mídia mundo afora e causou indignação unânime em vários países e em diferentes classes... todos do Ocidente, vale lembrar.

E ressalto o ocidente porque meu ponto é justamente este: a ingenuidade do ocidente em, primeiro, achar que seria tarefa fácil mudar culturas seculares sem ao menos entendê-las, e depois, a pretensão de achar-se o detentor do que supostamente seria melhor para tais culturas!

Entender o Oriente Médio, sua cultura e sua religião é fundamental para qualquer país ou indivídiuo ousar, apenas ousar, julgá-los, ou estaríamos incorrendo na intolerância e no totalitarismo, sentimentos já bem conhecidos pela humanidade em experiências passadas, como nazismo, facismo, comunismo, socialismo... e mesmo o capitalismo selvagem que pratica-se hoje em dia no chamado "mundo livre", porque não? Ou alguém ainda se ilude que há democracia na decisão dos governos europeus de ajudarem os gananciosos bancos, e depois cobrarem a fatura nos impostos dos cidadões? Ah, certamente... estão todos felicíssimos em pagar mais impostos para ajudar os banqueiros, coitadinhos, a limparem a cagada que fizeram!

Assim, camaradinha, esse bafafá todo no Oriente Médio é devido, basicamente, à intromissão dos governos ocidentais em áreas onde eles não entendem o que está em jogo. Não entendem culturalmentre, religiosamente, politicamente, economicamente, humanamente, e tantas outras mentes que estão longe de entender, pois não jogam as cartas daquela "democracia" e daquela "liberdade" que eles fizeram muita gente acreditar, primeiro, que existe, e depois que é a melhor do mundo.

Enquanto eles não forem plantar batata, catar coquinho, ou chupar maçaneta, o Oriente Médio não terá paz, seja esta paz um modelo ocidental, oriental, ou interplanetário - nem deus ou alá sabem!

Monday, January 02, 2012

A vida começa amanhã...

É isso aí camaradinha... a importância do amanhã é tamanha que posso dizer que será o primeiro dia do resto da minha vida! E seria poético, até, se fosse uma frase original, mas não é... ela já foi dita anteriormente inúmeras vezes - Hoje é o primeiro dia do resto de sua vida!

Embora seja geralmente atribuída a Charles Dederich, fundador de um grupo de reabilitação de drogas na Santa mônica dos anos 60 chamado Synanon, há quem diga que a frase já fazia parte de uma "sabedoria de rua" dos anos 60, e que Dederich apenas usou-a em sua clínica como lema inspiracional, mais ou menos como o famoso "só por hoje" das clínicas brasileiras.

Polêmicas à parte, amanhã será o primeiro dia do resto da minha vida, já que hoje, 02/01/12 (que no sistema americano poderia ser escrito 12/1/2, ou 1212), é feriado bancário aqui na Terra Verde do Eire, e AMANHÃ sim, começo vida nova! Vou perder peso, me exercitar mais, comer melhor, beber menos, parar de roer unhas, poupar dinheiro, aprender algo novo, ser mais organizado, ser menos ranzinza, gerir melhor o tempo, desenvolver a virtude cívica, fazer trabalho voluntário, doar a instituições de caridade, etc, etc, etc...

E como sempre, muito LUXO pra você!