Wednesday, October 31, 2012

Para Sempre

É... Drummond tinha um jeito de dizer as coisas que ia ainda muito além da "simples" poesia...


Para Sempre
de Carlos Drummond de Andrade
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Friday, October 26, 2012

Quem dá mais?


Para quem achava que já tinha visto de tudo, lêdo engano! Não subestime a estupidez humana, já diziam... o que me pergunto e se falavam da estupidez individual ou da estupidez coletiva!

Deve ser individual, do ponto de vista de Catarina Migliorini, é individual, mas a fulaninha apelou geral na individualização das multidões e gerou uma situação social nunca dantes imaginada! Agora todos se conformarão com a nova norma social, ainda que percebida ao invés de vivida, e poderão se projetar nessa impressão do "normal". Essa é a coletiva! Vai chover virgem vendendo virgindade, o que poderá depreciar o mercado de hímens!

Catarina Migliorini, 20, brasileira, estudante, futrura ex-virgem, vai ter muita história pra contar sobre a primeira vez... nada romântica, é verdade, mas bem lucrativa. Demorou meros 15 lances para ela se vender por R$ 1.5 milhão! Ela vai dar pro cara, um japonês chamado como Natsu, num avião, para evitar "problemas legais".

Dá pra chamá-la de prostituta? Tecnicamente sim, já que prostituta vende sexo, e embora Catarina tenha vendido "apenas o direito de alguém deflorá-la", espero que ela saiba que isso se dá através de relação sexual... pobrezinha!

Vamos ver se o meiomilhão vai valer a pena pelas consequências depois...

Sunday, October 21, 2012