Wednesday, January 21, 2009

Que País é Aquele?

Nem começou e já tem nego (no sentido genérico e não específico) nos calcanhares de Obama, ou cobrando ações que deveriam ter sido tomadas já há muito tempo pelo falecido Jorginho, ou esperando que ele falhe para então criticá-lo. Digo-lhe, camaradinha: nada confortável esta posição de Obama. Primeiro negro a ascender ao auto-aclamado cargo mais importante do planeta, as cobranças começaram já no discurso. Um comentarista da RTÈ perolou* que ele estava lá "... esperando um Abraham Lincoln, um Martin Luther King, ou quiça um Bill Clinton, mas nada disso veio". Elementar, meu caro comentarista, entraste no comício errado: este era o de Barack Hussein Obama! Por mais assustador que o nome possa lhe parecer!!!

Uma multidão compareceu pra ver o Obama falar. E comprar camiseta do Obama, caneca, caneta, pirulito (chupe o Obama!) e até pijamas (durma com Obama!). Mas na categoria criatividade o meu voto vai para uma destilaria de whisky irlandesa, que colocou uma safra para curtir no carvalho no dia da posse, e diz que o whiskey será presente para Obama - na sua saída! A pergunta é, será estre um whiskey envelhecid0 4 ou 8 anos? A qualidade do whisky depende de Obama se reeleger ou não!

Mas a verdadeira pergunta não está ligada a Israel, Guantánamo ou a atual crise financeira. A verdaeira pergunta é "que tipo de liberdade espera o povo americano". Uma vez que segurança e liberdade ocupam o mesmo eixo na balança dos indivíduos, o povo precisa escolher.

Bush havia deixado claro o tipo de liberdade/segurança oferecia. E o povo disse sim a esta política quando o reelegeu em 2004, mas disse não em 2008. Mais importante do que a repercussão que Obama possa ter com suas medidas em Israel, Cuba ou no FMI, será a sua democracia. Infelizmente o modelo americano ainda tem grande influência no mundo.


* perolar: verbo transitivo direto e intransitivo, que por derivação de sentido significa o ato de dizer 'pérolas', de dizer bobagens.

Tuesday, January 13, 2009

assim caminha a humanidade...


Na comemoração dos 10 anos do Euro, a moeda única para a maioria dos países europeus, com o Pound britânico quase batendo a casa dos "abaixo de zero" em relação ao euro, quando 1 pound chegou a valer 1.02 euros, parece não haver muita disposição para festas...

Comemorações sempre haverão, de todos os tipos, mas não é a festa que se esperava. O capital explora cada vez mais - não há caminho de volta na ganância e na avareza - a economia sucumbe, o animal humano sofre. Os outros animais que controlam as organizações - os que se auto-classificam de supra-humanos, pois eles sim se apoderam dos insumos, usufruem dos bens indiscriminadamente, e querem mais, muito mais... teem o dinheiro, teem o poder. Não teem a compaixão, a solidariedade, a irmandade.

Como então comemorar? Qualquer coisa que seja, até mesmo um aniversário? Como REALMENTE comemorar? Podemos ter nossos momentos de felicidade, mas a decepção é maior. A falha... onde falhou a humanidade? Por que sobra aqui e falta ali? Quem faz tais contas? Quem é o responsável por esse balanço? Aqueles na ponta dos faltantes estão a reclamar, sempre. Aqueles na ponta dos sobrantes não estão a doar o que lhes sobra... por que não lhes sobra, é claro! Porque um relógio todo de ouro e diamantes do lado de cá da corda é muito mais importante do que a comida do lado de lá.

Soa absurdo? Talvez nem tanto... por mais que hoje em dia a pena de morte, principalmente em praça pública, possa parecer uma crueldade, punições capitais eram eventos sociais e de entretenimento na idade média. Pouco mais de 100 anos atrás, a última execução pública na Escócia, por exemplo, foi um enforcamento e deu-se em Edimburgo. O evento trouxe um público de mais de 26 mil pessoas para a praça pública. Nos idos do século XIX, isso era gente à beça! Todos lá ,para ver a morte estrebuchada dos outros, dos outros miseráveis, que não eles.

Não acredito na humanidade. Não mais. Acredito em pessoas. Poucas. Mas andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar, e haverá um dia em que olharemos para trás em nossa história e diremos "nossa, como éramos cruéis!". Pena eu não estar mais por aqui quando isso acontecer...

Wednesday, January 07, 2009

ano novo, vida nova... de novo!

Pois é... ano novo (ou seria ano-novo?) é sinônimo (ou será sinonimo?) de vida nova (vida-nova?)...

É tanta coisa acontecendo que eu nem tive tempo de escrever minhas metas para este ano... Sempre escrevo, começando pelas do ano passado, as que não foram alcaçadas! Na verdade, acabo deixando-as para trás - se não foram alcançadas não é porque não pude alcançá-las, mas porque não eram interessantes de serem alcançadas... Ao menos é no que tento acreditar (e aposto que você também!!).

Mal começa o ano e já temos vários paradigmas cuja convivência já nos era confortável, mudados. Por exemplo, quem imaginaria que 1 libra esterlina chegaria a valer 1.02 euros? E que o antigo inimigo agora é o novo amigo? Sim, pois chamar de "fogo amigo" o que Israel vem fazendo na Faixa d Gaza só mesmo se invertermos os conceitos.

Mais um desafio para o Obama, que nem assumiu e já está sendo criticado de não agir... Ora, tirem aquela besta do bush de lá que o Obama terá lugar pra sentar, pelo menos! Esses americanos... são bons mesmo é pra criar diferentes tipos da mesma coisa: quer coca-cola? Ok, você prefere normal, diet coke, diet coke adoçada com Splenda (!), diet coke plus (com vitaminas!!), coca-cola zero, com ou sem cafeina (sem acento, depois do acordão português), com sabor de baunilha, cereja ou limão? Sério, não tem país melhor pra te deixar na dúvida... são tantas opções da mesma coisa que você acaba desistindo - bom pro bolso e pra saúde. Se eles se apegassem ao basico das coisas, não teriam eleito um presidente TÃO ESTÚPIDO como o Jorginho... Se até o pai dele, o Jorjão, acha o filho estúpido (vide W. de Oliver Stone, vale a pena!), quem dirá eu! É uma toupeira, mesmo (que me desculpem as toupeiras...). Com o Obama agora parece que os americanos (a maioria pelo menos) acertaram... merecem um voto de confiança. Vamos ver no que dá.

acordo da língua
Parece mesmo um "acordão". Sabe aquele troço que se faz mais-ou-menos só pra dizer que foi feito? É isso! As mudanças da língua portuguesa previstas foram acordadas em 1990! Haja tempo pra tirar dúvidas não? Há países que ainda estão inseguros com a reforma! Veja o Brasil mesmo, embora seja o "mais avançado" em termos de implantação - Lula até já assinou um decreto - ainda será possível escrever na antiga ortografia até 31 de dezembro de 2012. Só a partir de 2013 ficam valendo apenas as novas normas ortográficas. E pra piorar, o MEC permitiu que livros escolares circulem em 2009 tanto na velha quanto na nova grafia. Só em 2010 é que as obras serão obrigadas a circular apenas na nova ortografia... Mas que zona!

Pra registrar, as principais mudanças são o acréscimo daquelas três letras ditas estrangeiras no alfabeto (K, W, Y), a extinção do trema, a retirada de alguns acentos e alterações no uso do hífen.